RECOMENDAÇÕES URGENTES -CIRCULAR Nº 001

URBANISTAS CONTRA O COVID-19

RECOMENDAÇÕES URGENTES -CIRCULAR Nº 001

Neste momento urgente de luta e mobilização pelo desejo da vida constituímos uma rede autônoma de arquitetos e urbanistas com objetivo de oferecer sugestões recomendações e ações imediatas com ênfase no espaço urbano, na infraestrutura e na moradia, especialmente para as populações em bairros populares, periféricos e informais.

COMUNICAÇÃO

  1. Carros de som circulando. Avisar para não sair, não ir à praia, baile, igreja, etc. Recomendações com ventilação de ambientes e restrição do uso do ar condicionado e assepsia.
  2. Disseminar nas redes de rádios e canais de comunicação populares principais recomendações do Sistema Único de Saúde sobre os cuidados necessários e os dados concretos.
  3. Orientar quando se deve buscar auxílio médico (é uma crise do sistema hospitalar) e onde ir - importante ressaltar a crise hospitalar isso acho que não está com clareza. 
  4. Criar campanhas e falar de forma didática para as redes sociais.
  5. Divulgar todas as redes de voluntariado por categoria (médicos online, Psicólogos online, etc.). 
  6. Orientação em condomínios para moradores e funcionários.
  7. Diminuição de circulação de pessoas de fora em prédios, vilas, condomínios residenciais e comunidades.

ESPAÇOS LIVRES

  1. Preparar praças, quadras de esporte, estacionamentos e afins para para ligar geradores e forma que possam ser utilizados como espaços provisórios de triagem.
  2. Pontos de distribuição de energia, e água próximos à favelas, comunidades, etc. devem ser definidos.
  3. Pontos de carro pipa devem ser definidos.
  4. Instalação de pontos de assepsia em locais públicos, com raio acessível para que se chegue de um ponto a outro com caminhada de 10 minutos. 
  5. Pontos de abastecimento de cestas básicas deve ser definido e devem ser organizada a logística de distribuição para que se evite a aglomeração.

SISTEMA DE SAÚDE

  1. Adotar protocolos de prevenção de casos leves  para áreas pobres de grande aglomeração. Teste em massa nas favelas, testas todos os casos suspeitos, isolar os casos confirmados mesmo com sintomas leves.
  2. Garantir espaços salubres na cidade destinados a todos os casos de risco em situação de vulnerabilidade social. 
  3. Perímetros hospitalares devem ser feitos organizando acessos de veículos e pessoas
  4. Grandes espaços disponíveis e próximos a hospitais devem ser mapeados, checados e preparados.
  5. Transformação de espaços públicos como os clusters olímpicos em áreas de atendimento e saúde. 
  6. Tratar junto a outras esferas do poder público resolução para redução das superlotações carcerárias. 
  7. Aproveitamento de espaços públicos de favelas para áreas de triagem de teste em massa, com projeto arquitetônico de caráter efêmero que permita evitar as aglomerações tradicionais na triagem hospitalar.
  8.  Incluir material de assepsia em quantidade extra no pacote de cestas básicas.
  9. Monitoramento popular e transparencia nos dados. 
(importante garantir que não haja segregação formal socioeconômica nos clusters, tipo: não pode ter hospital de campanha pra pobre e hospital de campanha pra quem tem dinheiro).
  1. Parcerias com empresas de produtos de limpeza (Ipê, P&G, Gessy Lever) para higienização de locais públicos como: pontos de ônibus, bancos de praças, monumentos, etc. Assim como para distribuição para a população mais carente.
  2. Conceber rede on-line e fomentar as já existentes de atendimento clínico e psicológico aos pacientes, a ser acessível por aplicativos ou pelo site da Sistema Único de Saúde.

CIRCULAÇÃO NA CIDADE

  1. Corredores de trânsito restrito devem ser definidos. 
  2. Corredores de trânsito que direcionam a postos de triagem devem estar tagueados em mapas de aplicativos e ter comunicação visual de fácil reconhecimento nas vias.
  3. Abrir as ruas das cidades que se encontram fechadas com batentes, gradis, cancelas e afins.

INFRAESTRUTURAS EMERGENCIAIS

  1. Carros pipa.
  2. Geradores.
  3. Fornecedores de ar líquido, oxigênio hospitalar.
  4. Definir pontos de abastecimento alimentar (locais para recebimento e retirada de cestas básicas). 
  5. Indústrias que puderem devem ajustar sua linha de produção para fabricação de equipamentos de UTI conforme demanda estipulada pelo SUS e órgãos de estudo competentes.
  6. Utilizar espaços de centros comunitários para produção de sabão. 
  7. Garantir que áreas de vulnerabilidade social tenham acesso irrestrito a água e luz durante o período emergencial.

INFRAESTRUTURA FUNERÁRIA

  1.  Viaturas, carros funerários, caminhões.
  2.  Caixões.
  3.  Equipes de  preparo, traslado, cremação/enterro.
  4. Suspender velórios.
  5. Orientar a população para que não compareça em enterros.
  6. Estimular/verificar a viabilidade do velório on-line ( ver com Rio Pax e outras agências funerárias).

CARTOGRAFIA
  1. Mapear redes de abastecimento de insumos.
  2. Mapear redes de atendimento colaborativo de psicólogos e médicos (mesmo redes online).
  3. Mapear e dar transparência constante todos os percursos de transporte já delineados pelos órgãos vigentes.
  4. Mapear conjuntamente espaços livres nas favelas para que se possa fazer postos de triagem em campanhas.

MORADIAS POPULARES
  1. Orientar para impurezas em ar condicionado, circulação do vírus, e priorizar ventilação natural.
  2. Organizar horários de usos de espaços coletivos.
  3. Orientar organização para lavagem de roupas de vulneráveis e suspeitos.
  4. Orientar redução de limite de pessoas em ambientes de uso comum (como térreos, CUPs, escadas, elevadores, etc.).
  5. Orientar em favelas e bairros populares caminhos de rápida circulação de agentes de saúde e pacientes.
  6. Produzir estudos de uso dos espaços comuns de forma a garantir as boas práticas de assepsia para casos em que necessitem de triagem.

Comentários

  1. Parabéns aos idealizadores.
    A palavra assepsia poderia ser trocada por higiene?
    Orientar para limpeza, quando possível, de ambientes, lugares de intenso manuseio (como maçanetas) e objetos de uso constante (como celulares).

    ResponderExcluir
  2. Muito bom!
    Todas as cidades estão precisando de iniciativas desse tipo.
    Realmente, é a hora dos URBANISTAS.
    Parabéns.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

URBANISMO CONTRA O COVID-19 - CARTA ABERTA

TEMOS GRUPOS ESTADUAIS!